“Próximo”, o teatro no confessionário

Decorreu na Casa de Teatro de Sintra a apresentação da obra de Susana C. Gaspar e Inês Vieira “Próximo: os territórios de Sintra em palco, produto de residências artísticas efetuadas em três zonas de Sintra (Centro Histórico, Tapada das Mercês e S. João das Lampas/Assafora), durante 2018 e 2019, e já refletidos num espetáculo apresentado na Casa de Teatro de Sintra.

O Teatro tem a ver com a Vida (aliás, o teatro, É Vida) e passa pela observação e debate sobre os processos identitários de comunidades diacrónicas embora dentro duma mesma geografia de referência, muitas vezes mais artificial que natural. A Vida é em si um etnodrama que o palco por vezes amplia, outras discute, e por vezes de forma proativa e qual vanguarda transformadora, discute e contesta. Uma coisa é certa: muitas vezes não basta vermo-nos no espelho, é preciso passar para o outro lado, criando um Outro que não a reprodução de estafados Eus.

Susana C. Gaspar

Parabéns à equipa, onde se incluem, além das autoras, o Chão de Oliva, na pessoa do Nuno Correia Pinto, e ainda Miguel Moisés, Patrícia Cairrão e Diana Narciso. É preciso pensar e repensar o teatro nesta vasta comunidade acobertada no denso cogumelo da serra, fria e húmida, mas vibrante, diferente, insegura e contraditória, tal como Prometeu na permanente e trémula busca do Fogo e da Luz.

Share Button

1 thought on ““Próximo”, o teatro no confessionário”

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado.

Scroll to Top